Entrevista com Priscyla Vaqueira-31/05/2011

Praticando esporte de homem macho do sertão, essa delicada moça se destaca entre os marmanjos e acrescenta beleza e a garra feminina para o esporte. Quem pensa que ela disputa com pessoas do mesmo sexo, está completamente enganado, a moça bota fervendo é nos homens mesmo.

-Nome completo:
 Priscyla Andrade

-Apelido:
Pri Vaqueira

-Idade:
20 anos

-Cidade onde nasceu:
Olinda-PE

-Profissão:
Estudante de Administração.

-Representação:
Parque Dona Helena – Paulista-PE

MC- Esporte que pratica/treina:
PA- Vaquejada. Já competi tambor e baliza, mais no momento estou parada por falta de espaço. Pretendo voltar a competir, só falta apoio de patrocínio.
MC – Qual a comida que mais gosta?
PA- Galinha cabidela rsrsrs. Gosto muito de crustáceos também.

MC – Gosta de filmes? Qual tema?Qual o melhor que já assistiu?
PA- Gosto de quase todos os temas, exceto drama. E o filme que mais gosto é Náufrago e Busca Implacável

MC – Gosta de musicas?Qual estilo?Qual banda?Qual musica?
PA- Forró, toada e etc. Melhor banda pra mim é OS NONATOS e a música, Casa de campo.

MC – Qual o time que torce?
PA-Nautico.

MC – Qual a cidade que mais gosta?
PA-  Sou da capital, mais amo o interior e a cidade que admiro muito é Garanhuns-PE
 .

MC – Qual a melhor festa do ano?
PA- São João sem dúvidas.

MC – Como começou a competir/treinar?
PA-  Desde novinha acompanhava meu pai nas vaquejadas, mais nunca montava. Quando completei 12 anos, mesmo perdendo totalmente o contato com a vaquejada, comecei a montar em cavalos de passeio. Mais  sempre tive paixão por vaquejada, sempre acompanhava nos programas de televisão. Costumo dizer que a vaquejada está no sangue porque aos 16 anos, mesmo sem contato com o esporte, botei na cabeça que queria competir de todo jeito. Após um ano tentando convencer a meus pais deixarem, graças a Deus consegui a confiança deles e meu pai passou a me apoiar, levando aos treinos e competições.

MC – Porque escolheu essa raça?
PA-  Mesmo começando a montar em cavalos de passeio, não limpou meus olhos da beleza que é o Quarto de Milha, da agilidade, inteligência e resistência dessa raça que fascina á todos.

MC – Porque esse esporte?
PA-  Porque sempre me encantei com a vaquejada e por ser inexplicável o que sentimos quando entramos na pista de vaquejada.

MC – Quantas horas de treinamento?
PA-  Geralmente por está sem animal para competir, só monto nas competições. Mais sei que isso me prejudica muito, porque um atleta tem sempre que está se aperfeiçoando nos treinos.

MC – Quem é seu ídolo?
PA-  Nas vaquejadas, admiro muito o estilo de correr do Antônio Neto.

MC – Animal inesquecível?
PA-  Mô-mito de parnamirim-RN.

MC – Qual o melhor competidor atualmente?
PA-  São muitos. Mais o Celso Vitório vem se destacando.

MC – Titulo inesquecível?
PA- Depois de passar a madrugada toda disputando embaixo de muita chuva, veio a gratificação pela manhã, meu 12º lugar em ingá-PB.Esse sem dúvidas foi inesquecível pra mim.

MC – Qual o segredo para esse desempenho?
PA- Muita Garra, vontade e coragem.

MC – Qual seu sonho?
PA-  Meu sonho é ter ligação com cavalos a vida toda.  Porque é o que amo!

MC – Qual a palavra ou frase que você leva consigo?
PA-Não pense que você tem que vencer, o importante é conseguir o que você deseja.

MC – Agradecimento.
PA- Agradeço sempre a Deus pela vida maravilhosa que me proporciona, a nossa senhora Aparecida e á meus pais.
 MC – Obrigado e sucesso.
PA- Obrigada ao mídia country por abrir esse espaço para que pessoas como eu possam contar um pouco de sua história.