Ailson Leão concede entrevista ao AgroValor-14/01/2013

Representante do JL Treinamentos, em Sorocaba/SP, conta detalhes de sua carreira a um dos mais importantes veículos de imprensa do Ceará

No dia 08 de janeiro, o cavaleiro Ailson Leão foi destaque na coluna Agrojovem, do importante jornal cearense AgroValor. Confira, na íntegra, a entrevista concedida ao jornalista Angelo Tomasini:

Nome:
Ailson Ferraz Leão.

Idade:
28 anos - 06/12/1984.

Formação:
2º grau completo.

Cidade onde nasceu:
Nascido em Lucélia e criado em Mariápolis, cidades do interior paulista – na região de Presidente Prudente.

Estado civil:
Solteiro. Namorando a estudante de Veterinária Ana Paula Francischinelli Ventura.

Por que resolveu entrar nessa profissão de treinador?
Desde cedo, eu e meus irmãos fomos acostumados na lida da fazenda, pois os nossos pais, José Carlos Leão e Vera Lúcia Ferraz Leão, são trabalhadores rurais e sempre moraram no campo. 

Por que fazer o próprio centro de treinamentos?
Com o passar dos anos, eu e meu irmão mais velho, João, começamos a nos dedicar à doma de cavalos, pois a habilidade para tal atividade era inerente a nós. O João, após trabalhar como ajudante de dois conceituados cavaleiros, Joel Rodrigues e Francisco Almir Bezerra (Mimi), decidiu especializar-se em Baliza e Tambor. Assim, ele seguiu para a Hípica Versátil, em Arujá/SP, onde passou a auxiliar o treinador Abelardo Peixoto. Obstinado, dedicou-se ao serviço, limpando baias, tratando os animais e montando potros xucros. Logo veio a oportunidade de montar alguns cavalos de provas e, mais tarde, a grande chance: morar nos Estados Unidos. Assim, de 2002 a 2005, ele trabalhou para Kay Young (Kay Young Barrel Horses Ricochet Ranch) e Lonnie & Deamie Miller (Iron Mill Ranch), no Texas. Neste ínterim, eu fiquei no Brasil, procurando aprimorar minha equitação, fazendo cursos com treinadores experientes e preparando animais para as provas de Laço. Seguindo os passos do meu irmão, também me preparei para “fazer a América”, no entanto, o visto de entrada me foi negado. Tal revés não me desanimou. Já que não podia viajar, então convidei João para montarmos um Centro de Treinamento no Brasil, fundando, assim, o JL Treinamentos, hoje localizado em sede própria, no principal polo equestre nacional, em Sorocaba/SP. Isso tudo era um sonho antigo, que foi realizado este ano, graças a Deus. Nada melhor do que ter o nosso próprio Centro de Treinamento, onde podemos fazer o trabalho da melhor forma possível, sempre privilegiando o bem estar dos animais. As instalações são simples, porém funcionais, e os detalhes foram minuciosamente estudados para melhor atender nossos clientes.

Quais foram as grandes dificuldades do início?
Usamos todo o know-how que adquirimos durante nossa carreira, tanto no Brasil como no exterior, e procuramos colocar nas instalações do nosso CT. No entanto, não tínhamos experiência com construção e isso trouxe vários ônus a nós. Mas com fé e determinação, o rancho ficou como queríamos. E as benfeitorias não param. Agora, estamos projetando um redondel coberto, a fim de trabalhar os animais debaixo de sol quente ou de chuva.

Como está este mercado de centros de treinamento atualmente?
Nós trabalhamos com Baliza e Tambor. Esta última, em especial, é a modalidade equestre que mais cresce no mundo. Há sempre gente nova entrando e investindo, fazendo com que o mercado continue firme e forte.

Possuem quantos clientes atualmente e chegam a faturar quanto anualmente?
Nós temos cerca de 20 clientes, que confiam a nós 30 cavalos, cujos preços variam de R$ 20 mil a R$ 500 mil. Nós temos duas diferenciações de preço: R$ 1.000,00 para cavalos castrados e fêmeas, e R$ 1.200,00 para garanhões. Nesses valores estão inclusos trato e treinamento, ficando à parte os tratamentos veterinários, medicamentos e ferrageamento. É válido ressaltar que nossos animais comem ração RTB e recebem suplementação vitamínica da Organnact, dois parceiros de peso do JL Treinamentos e que produzem os melhores produtos nessas duas referidas áreas.

O que acha que poderia ser melhorado na profissão de vocês?
Apenas que a figura do treinador fosse mais valorizada. 

Nessa profissão os jovens dominam. Mas tem muita gente se dedicando a isso? Por quê?
Montar cavalos de alta performance demanda muito esforço físico, por isso que os jovens se sobressaem. Os antigos treinadores, que já não andam mais na ponta, atualmente se dedicam à doma dos potros, que é uma vertente do mercado bastante carente de bons profissionais. Como o mercado é grande e assimila somente os competentes, queremos que cada vez mais venham novos talentos, a fim de trazer benefícios ao esporte.

*Considerações finais.

“Deus ajuda quem cedo madruga”. Nós, do JL Treinamentos, somos iguais a Pardais, onde dormimos, não amanhecemos, ou seja, levantamos cedo e já partimos para as baias, a fim de ficarmos juntos dos cavalos. Nosso slogan é “Parceria de Irmão!”, que se traduz no respeito e na admiração que eu e meus irmãos João e Leda temos para conosco e para com os animais, que nossos clientes confiam a nós. Por fim, deixo a frase “Prepare os cavalos para a batalha, mas a vitória vem do Senhor”, que me dá força para seguir em frente.

Outras informações em www.jltreinamentos.com.br.

Marcelo Pardini (Grupo MP)
Excelência nos serviços. Amor ao Agronegócio!
+55 (14) 8190-3890
www.marcelopardini.com.br / www.infohorse.com.br